Para já esta tudo bem. Estou mais feliz, mais satisfeito e cada vez mais completo como treinador”

Para já esta tudo bem. Estou mais feliz, mais satisfeito e cada vez mais completo como treinador”
Comentários fechados em Para já esta tudo bem. Estou mais feliz, mais satisfeito e cada vez mais completo como treinador”

Captura de ecrã 2014-07-21, às 上午8.44.28

“É uma nova experiência, não é mais uma repetição, nem se trata de uma aventura. Já vou somando uma quantidade de experiências notáveis, que fazem de mim mais feliz, mais satisfeito e cada vez mais completo como treinador”

Pedro Barros

Manuel Cajuda vive momentos muito positivos na China, onde comanda o Tianjin Songjiang, atual oitavo classificado da Segunda Liga daquele país. O técnico português entrou no emblema há dois meses e, de momento, tem apenas referências elogiosas deste novo desafio na carreira, o primeiro no Extremo Oriente.«Está a correr bem. É uma nova experiência, não é mais uma, nem se trata de uma aventura. Já vou somando uma quantidade de experiências notáveis, que fazem de mim mais feliz, mais satisfeito e cada vez mais completo como treinador», confessou Manuel Cajuda.Desde que assumiu o comando da formação chinesa, o técnico alcançou três vitórias e um empate em seis partidas, colocando um ponto final num ciclo terrível de derrotas consecutivas do anterior responsável.«O que mudei? São coisas difíceis de explicar quando as pessoas julgam que só os troféus é que são títulos… Quanto entrei o clube já não tinha qualquer hipótese de subida e pediram-me para o estabilizar na classificação e evitar a despromoção», recordou o experiente treinador, acrescentando: «Estávamos a oito pontos do último classificado, agora subimos uma posição e estamos a 16 pontos do lanterna vermelha. Ganhámos pontos a quase todas as equipas.»Avaliando as informações que lhe vão chegando de dirigentes, assessores e jogadores, Manuel Cajuda julga que este fenómeno tem a ver com «uma questão de profissionalismo». «Uma das vertentes mais fortes do treino é a comunicação. No entanto, trabalho com um tradutor de inglês para chinês – e eu mal falo inglês –, mas surpreendentemente conseguimos mudar alguns hábitos e os atletas assimilaram a forma de trabalhar e as exigências de um treinador europeu. Isto é, fazemos praticamente as mesmas coisas, embora de forma diferente», salientou o técnico.
A faltar 10 jornadas para o final da competição, Manuel Cajuda define como objetivo «deixar o clube em situação de investir na subida de divisão no próximo ano». No entanto, desconhece ainda se será o responsável por essa missão. «Não sei o que me reserva o futuro… Sinto vontade de fazer mais coisas e até tenho a sensação de que se voltar a Portugal posso surpreender. Consigo distinguir o que se fazia há 20 anos daquilo que se faz na atualidade. Dou graças a Deus pela experiência acumulada, mas olho para o futebol no sentido da inovação, que é mudar e transformar, e não apenas numa perspetiva de ambição, que pode significar a prisão a determinados conceitos».

O Tianjin Songjiang defronta este sábado o Qingdao Hainiu a contar para a 21.ª ronda do campeonato. Na última jornada, bateu o Chengdu Tiancheng, por 1-0.

Extraído do Jornal ” A Bola” 30.08.2014

Comments are closed.