O MEU OLHAR SOBRE O CLÁSSICO

Captura de ecrã 2014-01-12, às 21.56.31

      Um clássico é sempre um jogo aguardado com muita intensidade. Ele é depois analisado por diversas filosofias visuais, quase sempre maioritariamente clubistas e até por adeptos/simpatizantes de outros clubes que não entram nesse mesmo clássico. Tentarei  de forma simples , partilhar o meu olhar sobre o clássico.

    Aguardado com uma expectativa nunca antes sentida , (primeiro clássico disputado após o falecimento do Melhor Jogador de sempre , Eusébio) , este jogo brindou-nos com um elevado número de emoções que só o Futebol tem capacidade de nos oferecer:

      Público – Muito público (62.508) que seguramente primeiro queriam ver e viram um bom jogo de futebol e ao mesmo tempo associar-se a mais duas homenagens. A Eusébio (emocionante) e ao regresso do futebol ao seu tempo popular (16 horas). Será que alguém vai pensar em pensar nisto? Parabéns a Portistas e Benfiquistas por este comportamento de excelência.

      Equipas – Duas das melhores equipas do nosso futebol , recheadas de excelentes executantes que souberam começar o jogo muito antes do apito inicial do árbitro. Nada de declarações inflamatórias , para aquilo que sempre pede um simples jogo de futebol e como tudo que é simples se torna belo…..

     Ganhou o Benfica. Ganhou a melhor equipa neste jogo. Ganhou a que melhor soube estudar, programar e praticar com excelência, todos os princípios culturais do jogo, quer no seu processo defensivo como ofensivo. O Benfica nunca definiu (e bem) espaços territoriais, para recuperação da bola e de imediato proceder à formação/construção do seus diversos movimentos ofensivos. Ganhou não por ter mudado (que não mudou) o seu sistema táctico , mas sim porque soube tirar um melhor rendimento das características dos seus melhores jogadores e colocar todas as suas individualidades ao serviço do colectivo. Um ligeiro regresso a um passado bem recente (MATIC//ENZO) , lançam de novo o Benfica para o bom futebol. Matic é enorme na sua verdadeira função de  primeiro organizador ainda dentro dos espaços dominantemente defensivos. Dá segurança defensiva e começa a construção do processo ofensivo (com elegância e inteligência) muito antes de o mesmo entrar na sua verdadeira zona de construção. Enzo e Markovic fazem o resto dos estragos.

      Perdeu o Porto. Perdeu a que não conseguiu ser a melhor equipa neste jogo. Justa a vitória do Benfica? Sim.

Injusta a derrota do Porto? Não

      O Porto continua esta época a ser uma equipa “interrogativa”. Parece em cada momento do jogo estar sempre a interrogar-se : “afinal o que está a acontecer? Era-mos tão bons e por não o conseguimos ser agora?

      Diferenças neste jogo.

      O Benfica consegui-o fazer um TODO maior que a soma das partes. O Porto nunca consegui-o fazer a soma de todas as suas partes.

Leave a Reply