SISTEMAS de JOGO (Parte III – Final)

SISTEMAS de JOGO (Parte III – Final)
Comentários fechados em SISTEMAS de JOGO (Parte III – Final)

Classificação dos Sistemas de Jogo

 

Ao longe da história produziram-se muitas e diferentes formas de evolusão no que se refere aos Sistemas Tácticos e com elas vieram também as necessárias formas de classificação . Assim podemos classifica-los em :

 

  • Sistemas de ocupação e (ou) incorporacão : Procuram a profundidade ofensiva e incidem num plano longitudinal incorporando jugadores entre línhas para poder ocupar de forma correcta os espaços por trás ou entre as linhas da equipa adversária.

 

  • Sistemas de posição : Procuram obter a máxima “amplitude      geométrica” do terreno de jogo , incidindo e tentando afectar planos tranversais e linhas horizontais densamente povoadas dando grande força no jogo há posse de prioridade em função da profundidade.

 

Entre os mais importantes destacam-se :

 

Sistemas de jogo com uma linha defensiva de 3 jogadores : são sistemas ofensivos que requerem jogadores de grande nível técnico-táctico.

– Sistemas de ocupação : 1.3.4-1.2 // 1.3.2-3.2 // 1.3.4-2.1

– Sistemas de posição : 1.3.4.3 // 1.3.5.2

 

Sistemas de jogo com uma linha defensiva de 4 jogadores : são os sistemas mais equilibrados e utilizados.

– Sistemas de ocupação: 1.4.2-3.1 // 1.4.1-4.1,

– Sistemas de posição : 1.4.4.2 // 1.4.5.1 // 1.4.3.3

 

Sistemas de jogo com uma linha defensiva de 5 jogadores : são “normalmente” sistemas defensivos que cedem a iniciativa do jogo ao adversario.

– Sistemas de ocupação: 1.5.1-3.1

– Sistemas de posição : 1.5.3.2 // 1.5.4.1

 

Tom Gadioli , um dia escreveu:

 

“Tudo na vida é uma questão de escolha. Não importa quantas pedras você tenha no caminho e não importa se você não consegue ver uma saida, no final, tudo é uma questão de escolha…. Escolha no modo de agir, escolha no modo de viver, escolha no modo de pensar. Filosofar é facil demais, é eu sei, mas já é um começo. E tambem sei que vou seguir minha vida desse jeito, errando e acertando, não necessariamente nessa ordem, mas definitivamente aprendendo com cada erro. Sei que jamais vou ser o dono da verdade, até porque, verdade, cada um tem a sua. Quero simplesmente viver, um dia de cada vez. E não tenho pressa de ser um velho sábio, pois quando eu pensar que aprendi a viver, terei aprendido a morrer.”

Comments are closed.